CARTA NA GARRAFA

UMA CARTA NA GARRAFA.

Encontrei largada na areia da praia uma garrafa que acredito ter sido jogada pelas ondas do mar; sentei em baixo de um coqueiro curioso para ler o conteúdo da misteriosa carta. Assim começava a leitura: _Sempre guardei meus sentimentos numa caixinha bem no fundo do meu coração, penso que quando escrevemos sobre o mundo de sentimentos que nos aflige a alma, e que por algumas vezes dilacera nosso coração as pessoas têm a tendência de sentir pena, e esse é um sentimento que me é extremamente repulsivo. Há em mim sentimentos ambíguos que por vezes me leva a um pranto, em outras me conduz a risos descabidos que saem sem graça apertando o peito, (aquele riso que damos para parecermos mais forte do que realmente somos). _Meus sentimentos sempre viveram no cais da despedida, sucessivamente pensando não ser merecedora de ser amada. Hoje o luar me fez fantasiar sobre as possibilidades do amor, encheu meu coração de pretensão de encontrar um farol que me guie nesse extenso mar das emoções amorosas, quem sabe navegando na busca do amor e da paixão encontre alguém que preencha meu mundo de sentimentos ambíguos dando-me a paz tão ambicionada. _Bem... Sei que não irei a caça alguma, melhor colocar tudo que escrevi numa garrafa e deixar que o mar encontre meu amor.
Lívia.

Luly Diniz.
27/04/19.

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Muito bela mensagem. Aplausos mil

  • 2064817145?profile=RESIZE_710x

    • Obrigada Marsoalex pelo lindo destaque, prezer ter seu comentário.

      Beijos de luz no seu coração poesia,

      Luly.

      2227167875?profile=RESIZE_930x

This reply was deleted.
CPP