MUNDO, VELHO MUNDO

 

Mundo, velho mundo

Destino ou condenação

Sina ou maldição

Vivencio o encontro de vários mundos

O mundo dos que ficam

E o dos que estão indo embora

O dos que amam e sentem paixão

O dos que só experimentam desilusão

Destilando ódio e dor

Alimentando-se de rancor

 

Um preso sem crime

Um condenado sem julgamento

Refém da vontade dos deuses

Vítima da impiedade do destino

Seguindo as trilhas de minha sina

No deserto de meus descaminhos

Meu único pecado cometido

Foi o mal de ter nascido

 

Em fuga para incertos desígnios

Evocando amores nunca esquecidos

Por demais sentidos, sonhados e sofridos

No turbilhão de muitas saudades

Seguindo funesta sina de meu destino

Imerso na solidão de ermos caminhos

Com a alma em permanente conflito

Onde escasseiam motivos para seguir

E abundam razões para desistir

 

 FRANCISCO TAVORA

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    Relendo e apreciando!

  • Gestores

    Parabéns Franscisco!

  • Tempos difíceis e inglórios que causam dissabor e nos deixam intrigados com o momento. Felicitações pela lira.

    • Muito agradecido por ver e compreender a crueza  na tristeza de meus versos.

  • Gestores

    9539496886?profile=RESIZE_584x

    • Feliz com o comentário. 

  • Maravilhosa  poesia. Magistral versos

    • Muito agradeço seu generoso comentário.

  • Parabéns poeta!
    Aqui descreves os sentimentos que atormentam o mais profundo da alma, no entanto, olvidas-te referir a Esperança, que dilui o desespero e alivia e acalma.

    Aceita os meus cumprimentos.

    • Muito agradeço sua generosa apreciação de meus singelos versos.

This reply was deleted.
CPP