A MINHA RUA

 

A MINHA RUA

 


A minha rua
É uma rua pequenina;
Duma esquina à outra esquina
Vão poucos metros até...
Sem mesmo que se conclua
Que tenha um tal nome assim
Pois rua é que ela não é,
Já que acaba mal começa
E a chamaram de "travessa."

 

Seja de carro ou a pé
Percorre-se bem depressa.

 

Mas é uma rua "curtida..."
Nasce a meio duma subida
Entre um Parque e uma Alameda
Onde o amor se segreda
Tal como em outra qualquer…
Onde digo e oiço dizer
"Bom dia! Então como vai?"
E pró trabalho se sai
Com mais ou menos alento
A pensar no que se espera...
(Mas também no cumprimento)

 

Não tem muitas arvorezinhas,
Não lhe deram esse encanto;
Umas cinco ou seis se tanto
Que até são minhas vizinhas.

 

(Quando debruço à janela
Lá estão elas num recanto
Por sob a minha cozinha.)

 

Depois e seguindo a linha
Vejo a Alameda ao fundo
Que já é jardim fecundo
Com a árvore, a florinha...

 

Do outro lado, o oposto,
Inda tenho um outro gosto:
Ver meninos a brincar
Que há escola, de pequeninos
Com meninas e meninos
Por lá sempre a saltitar.

 

Há um banquinho na frente
E na sombra normalmente
Que o calor é um sufoco!
É onde se senta a gente
Conversa amigavelmente
E descansa ali um pouco.

 

Eu gosto da minha rua!
E às vezes à luz da lua
Lá quando o sol nos desanda,
Chego a ficar na varanda
A pensar em tanto tema
Do Mundo onde me insiro!

 

Às vezes nesse retiro
é que me sai um poema.


Joaquim Sustelo
(editado no livro RAIOS DE LUZ)

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Parabéns Joaquim , pelo o excelente texto poético!

  • Os lugares que moramos servem de inspiração e vão muito além de um endereço geográfico. Felicitações

  • Duplamente agradecido, Márcia.

    Beijo

  • Lindo poema Joaquim!!!!!

    Um desfecho com louvor 

    DESTACADO 

    Parabéns.

    Um abraço 

  • Olá Joaquim Sustelo:

    Somos todos caminhantes de uma rua sem fim que nos mostra o quão estamos dispostos a usá-la.

    Parabéns

    Abraços

    JC Bridon

     

    • Muito obrigado amigo Júlio César, pelo que escreveu.

      Abraços

  • Uma belíssima homenagem a rua onde moramos.

    Com problemas e com virtudes valorizemos as virtudes.

    As ruas tem identidade física e espiritual

    Parabéns amigo Joaquim Susteio

    Abraços de Antonio Domingos 

    • Muito obrigado amigo António Domingos, pela tua apreciação e palavras.

      Abraços

This reply was deleted.
CPP