A Natureza Do Erro

A Natureza Do Erro

A Natureza Do Erro

Ainda que cometamos um número infinito de erros, só há, na verdade, do ponto de vista lógico, duas maneiras de errar: erramos raciocinando mal com dados corretos ou raciocinando bem com dados falsos. (Haverá certamente uma terceira maneira de errar: raciocinando mal com dados falsos.) O erro pode, portanto, resultar de um vício de forma - raciocinar mal com dados corretos - ou de matéria - raciocinar bem com dados falsos. Contudo, não se deve confundir o erro em si (a opinião falsa) com o raciocínio que o produziu. Não cabe à lógica investigar as causas do erro (isso é missão da psicologia, da metafísica, talvez, e das ciências), mas descrever-lhes as formas. As crendices, as superstições, os tabus são erros: Não compete à lógica debatê-los, mas apenas mostrar que as falsas opiniões deles decorrentes tiveram como ponto de partida um raciocínio ilegítimo ou vicioso. Tente mudar a natureza dos seus erros, esforce-se para errar menos, raciocinando de um jeito diferente!

João Carreira

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

joao carreira

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • É importante que cada um faça uma análise antes de executar uma ação, sej ela falada ou não.

    Aplausos pela composição, João.

     

    • Comentário rimado obrigado pelo carinho.

      Dr. Carreira

This reply was deleted.
CPP