Inspirações

Ahhh, Relógio Insensível e, Tempo Implacável

Ahhh, Relógio Insensível e, Tempo Implacável

 Ahh, Relógio Insensível e, Tempo Implacável

Poucas pessoas se preocupam com o tempo, porém, estão sempre focadas no relógio -, todos compram um contador (sem registro no CRC). Mesmo sendo um contador falso, tem-se início à contabilidade do nosso bem mais precioso - o tempo.

Seria melhor não consultá-lo de tão insensível que é, mas sempre que o olho, é como olhar uma invenção do nada para o nada - sinto nele a indiferença pela vida - ele é frio como o inverno, não para, nem para pra respirar - um tiquinho sequer. Sua função é mais que macabra, é mecânica (tic-tac, tic-tac, tic-tac), sem sentimentos, vive a contabilizar, contabilizar, somando os segundos, os minutos, as horas, as semanas, os meses, os anos e porque não séculos e séculos que estão a passar -, a passar como passa o vento  o pensamento - o primeiro (o vento) sempre a tocar nosso rosto, mas este vento, não fica nem um segundo, passa como um relâmpago, seguindo seu caminho,  pior, é que na correria do destino, não sentimos o seu toque - nem o cheiro do vento -, não sentimos seu carinho - e assim, o tempo passa (tic-"taqueando"), enquanto passa, a frieza do relógio entra no inverno e, continua contabilizando - os implacáveis segundos do tempo.

Por outro lado, nosso subconsciente registra e contabiliza também, nossas rugas; rugas físicas, rugas emocionais, rugas sentimentais - rugas do tempo que nos faz abrir e fechar os olhos "sem sentir" e, sem sentir e nem perceber, percebemos que já são 18 horas..., assustamos, pois, o dia terminou, a semana também, o mês finda seus dias, o ano se acabou..., a vida passou..., foi-se..., assim sendo, e além de tudo já poetizado os anos, vão pesando, como pesa o chumbo sobre as asas das nossas lembranças do pretérito perfeito e, quem sabe até do imperfeito...

E digo mais: - Abominável relógio - já li que és o mais feroz dos animais domésticos, és enfeite de parede e que - já devorou gerações. És implacável sim, não pra um só segundo, mas pra toda vida - maldita frieza, tu só pensas em somar, somar, e somar - nunca pensas em diminuir? Ele no seu silêncio metálico responde: - Mesmo assim, sua vida segue caminhando o caminho do nada - que ao nada voltará!

Mas eu contraponho e, reitero agora, que horas são no relógio da sua vida?!

João Carreira - 22/10/2019

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • "O tempo passa na gente tão derrepente" 

    Esta frase está escrita em uma de minhas poesias.

    Seria nós que passamos no tempo tão derrepente?

    Sutil semântica causa efeito !!!

    O tempo na natureza se mostra em capítulos da vidamm, sob a égide dos fenomenos naturais como as estações do ano.Ciclos.

    O tempo é virtual de verdade inconstentável

    O tempo de outrora era sentido pela escuridão da noite e claridade do dia, sem ama

    Desta forma o homem ao querer administrar suas vidas de correrias (para  alcançar o vento), inventaram o tal relógio, que incontestável, parece um espião.

    Bela dissertação sobre tão relevante tema

    Parabéns,João Carreira, abraço, Antonio

    • Antonio seus comentários são sempre bem vindos, eles são de um teor inconfundivel - obrigado.

  • Expressivo texto, tenho inquietações com o tempo, porém hoje deixo de lado o tic tac e vivo. Meu tempo é fora do relógio do tempo. Abraços

    Parabéns.

    • Obrigado pela visita e pelo lindo comentário Jennifer - um beijo poético em teu coração.

  • Gestores Adm

    Penso que o tempo é soberano e, nós, seres moartais, passamos por ele querendo detê-lo em algum ponto do caminho, o que nunca se concretiza, pode-se esticar ali, cortar um pedaço dali etc, mas nada pode apagar a ação do tempo. Vivemos com pressa para realizar uma agenda que ao cabo de um dia quase não damos conta, muitas coisas ficam o amanhã. Assim é desde o começo da vida.

    Aplausos pelo texto reflexivo.

    Parabéns!

    • Poetisa Edith "Lobato" até o nome é de poeta. Obrigado pelo lindo comentário.

This reply was deleted.
CPP