MOZART E O SEU CÃO FIEL

MOZART E O SEU CÃO FIEL

 

Apenas trinta e cinco anos de vida
de Salzburgo, que um dia o viu nascer,
até essa que viu sua partida,
Viena, que o não soube socorrer...

 

Mozart foi um génio: aos cinco anos
sabemos, começou já a compor!
Aos sete (e em Paris) já noutros planos
surgiam obras suas em esplendor!

 

Mas se era para a música dotado,
se tinha grandes dons de pioneiro,
tinha um defeito grande: esse coitado
lidava muito mal com o dinheiro

 

Assim - e quem andou na sua pista -
não foi sempre pra ele gente séria;
E um, e outro, e outro oportunista,
também o foi deixando na miséria

 

Sua mulher, Constanze, abandonou-o.
Ele ajudou a mãe, que era doente.
E quando ela partiu, isso deixou-o
também doente e pobre... deprimente

 

Ficando enfermo no seu fraco abrigo
apenas tinha uma consolação:
- o seu cãozinho, seu fiel amigo,
que por ele tinha, enorme afeição

 

Mozart morreu. E foi sepultado
em vala comum como um indigente...
Constanze, em Paris, sabendo-o finado,
vai até Viena, no dever que sente

 

E fica indignada: nem placa com nome
para se saber onde se encontrava!
Se ele fora um génio de grande renome
não merecia túmulo?

                                          - Estava frio, nevava...



... eis que nota um corpo... magro... congelado...
assim pequenino, na terra batida...
- era o cão de Mozart, o seu cão amado
que ali junto ao dono ficara sem vida

 

Se for a Viena vê tanto museu
tantos monumentos!... Mas veja depois
(pelo amor do cão, que a "pista" lhe deu)
esse Mausoléu onde estão os dois

 

E fique ciente, guarde na memória:
- dinheiro compra tudo... um ror, um montão!
Mas nunca se viu através da História
comprar o abano da cauda de um cão!

 


Joaquim Sustelo
(em TRANSPARÊNCIAS DA ALMA)

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Uma história de vida, onde permeou a genialidade e astúcia musical, e teve o abandono em sua última nota de vida. Felicitações pela poesia

  • Aí está o resumo da vida de Mozart este genio da música clássica. Está é a vida de muitos iguais ou piores que Mozart...Pela genialidade não se imagina para ele uma vida de tantos transtornos. A 9 (Nona Sinfonia) foi composta por Mozart perto dos 50 anos e praticamente surdo...Ao longo da vida foi ficando surdo. 

    Valorizo muito o cão de Mozart.  Está história se repete por aí..  De fato o cão é um grande amigo da gente m

    Parabéns amigo Joaquim Susteio pela bela publicação acerca da vida de Mozart.... Muito interessante e proveitoso sabermos destas histórias dos grandes personagens da humanidade...Sempre é um imenso ensinamento para nós seres mortais 

    Bela Publicação.. Parabéns efusivos 

    Abraços de Antonio Domingos 

    • Muitíssimo obrigado pelas tuas palavras, amigo António Domingos. Fico muito feliz com elas.

      Talvez tenhas querido dizer que a 9ª sinfonia foi composta por Beethoven (e não por Mozart), perto dos 50 anos e praticamente surdo. Porque Mozart, como digo no poema, faleceu com 35 anos.

      Abraços

    • https://youtu.be/I20Kgc8c2EQ. 

      Obrigado amigo Joaquim Susteio. Correto que ele faleceu aos 35 anos e não poderia ter composto a Nona Sinfonia aos 46 anos.

      Mas há também uma nona Sinfonia atribuída a Mozart.. Agora tenho dúvidas.

      Veja por favor esta publicação no YouTube sobre Mozart e sua composição chamada Nona Sinfonia.

      Aguardo seu comentário e retorno.

      Algo está errado.

      Obrigado

      Antonio Domingos 

    • Amigo,já respondi noutro local.

      Abraço

  • Belíssimo poema!

    Uma história contada em versos definindo os fatos. Espetacular!

    Parabéns Joaquim

    DESTACADO

     

    Um abraço 

  • Olá:

    Ciente ficamos, ao romper de tão belos versos, que nos mostram como transitar pela vida,

    sufocados que somos por um passado longinquo

    que nos mostram como viver e ultrapassar as intempéries de uma caminhada infinita.

    Somos o que somos e não o que querem que sejamos.

    Parabéns,

    Meus aplausos pela belíssima interpretação de um valoroso poema.

    Abraços

    JC Bridon

    • Amigo Júlio César, muito sensibilizado agradeço as suas palavras.

      Abraços

This reply was deleted.
CPP