Inspirações

O arranjo na cabeça da menina

A menina magra , cabelos curtos  e encaracolados

vermelha por conta do sol escaldante, disparava

difícil era alcançar, seu corpo leve, pernas longas

seguia uma reta, depois perpendiculava e reta

mais uma vez, num contentamento de menina.

 

Seu propósito da manhã dominical já havia

realizado defronte á igreja, compras de doces

chiclete ping-pong, cocada com goiaba e atum

ir à igreja partcipar da missa, não era objetivo 

quem ordenava era a sua mãe, beata assídua

reconhecida na comunidade cristã da região.

 

Percebeu , que muitas meninas, e meninos,

enfileirados e enfileirdas, iam até o padre

na hora da eucaristia, e recebiam dele

uma pequena  rodela muito fina,

feita de pão ázimo, que é consagrada

durante a missa e oferecida aos fiéis na comunhão.

Tomada pelo desejo, não da hóstia, mas de ter aqueles

belos arranjos, decorando os penteados das meninas

fruto da herança após a Primeira Comunhão,  ela, 

a menina, resolveu se dedicar ao Catecismo

era tão pequena, que o padre que realizou a confissão

achou que ainda não sabia ler e escrever, enganou-se

a menina era esperta demais, para ser impedida

por causa de uma leitura, que ele a colocou à prova.

 

Gilcelia Santos Ressurreição

 

 

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Gilcelia Santos Ressurreição

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Parabéns! Muito bom Gilcelia.

  • Adm

    Os sonhos da infância são tão puros e delicados.

    Lindo texto.

    Parabéns!

  • Lindo, minha amiga! A formatação feita pela Safira preciosa também ficou linda!

    Bom te ler!

    Beijos!

    Nina Costa

  • Entusiasmo criador lindo. Cumprimentos pelo primoroso conto! Grato pela visita.

This reply was deleted.
CPP