OS DESÍGNIOS DA VIDA

Às vezes são desígnios desta vida...
Descritos numa imagem desolada,
esvoaça uma teia abandonada
numa lâmpada suja, ensombrecida...
 
Uma mobília antiga, descabida,
ocupando uma sala maltratada…
Nada que evoque suavidade… Nada
que espere uma visita enternecida...
 
Todo um ambiente de desgosto, enfim...
Uma cadeira velha de courvim,
solitária, na borda de uma mesa...
 
Uma janela com um galho morto…
No cenário, medita um vulto absorto
escrevendo um poema… De beleza...
 

(Paulo Mauricio G. Silva)7891412870?profile=RESIZE_584x

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Aplausos nobre poeta. 

    • Obrigado minha amiga :) tenha uma ótima tarde!

  • Gestores

    7938776290?profile=RESIZE_584x

  • Prezado poeta

    Paulo

    apesar de toda narração descrevendo partes da vida,ora sofrida,ora desgosto, ora solidão

    no cenário,medita um vulto absorto

    escrevendo um poema...de beleza

    entendi que apesar de tudo ainda existe amor no coração

    parabéns

    Atenciosamente

    Davi/Guardião do amor

    • Obrigado nobre amigo poeta, pela apreciação e pela atenciosa leitura! Tenha uma noite de paz!

This reply was deleted.
CPP