Por um triz

Por um triz

estou na minha fazenda,com minha esposa carla,joana minha filha,eduardo meu filho e eu sou o demetriu.estamos bem.meus empregados estão trabalhando.minha fazenda é a maior da região.já tentaram comprar, mas eu não vendi e não vendo, pois aqui somos felizes e isto não tem preço.e por causa desta questão,estou sendo ameaçado,tive que reforçar a guarda.ja expliquei a todo custo que não vendemos,mas não adianta explicar.nem imagino a forma correta de resolver.mas o inevitavel acontece,é meia noite, escutamos tiros,nossos guardas estão reagindo bem aos inimigos,estou dentro da fazenda armado e junto com minha familia.e la fora um tiroteio imenso que parece que nunca vai ter fim.depois de mais ou menos uma hora, um silencio invade a fazenda.e do lado de fora uma voz ecoa com um brado forte dizendo,matamos todos que estavam aqui do lado de fora apesar que também morrerram muitos dos meus homens,mas se a gente quisesse matariamos os quatros ai dentro,mas nosso patrão deu a ordem de pedirem para voces se entregarem num prazo de 5 minutos,e começa agora, se ninguem sair vamos matar todos.abracei minha esposa e meu filho e minha filha, e saimos para o lado de fora.o chefe deles pegaram quatro bolas numeradas e entregaram para a gente,e disse, a bola numero 1,5,7 e 15 estão sendo entregues a voces.eu vou falar o numero e dizer vive ou morre,dos quatros apenas duas pessoas sairão vivas e duas morrerão,é a ordem de nosso patrão.meu patrão falou que as duas pessoas que sairem vivas assinarão os documentos sobre a venda da fazenda,as demais coisas meu patrão ja tomou providencias,ta tudo comprado,xerife e seu pessoal e o povo ao redor.se abraçamos e falei bem baixinho o numero que ele falar que vai viver eu dou para voce minha querida e para voce minha filha,não tem jeito eu e meu filho vamos pegar a bola numerada para morrer.e sai um grito bola numero 7 vai viver rapidamente dei para minha esposa,bola numero 1 vai morrer peguei para mim,bola numero 15 vai viver passei rapidamente para minha irmã e bola numero 5 vai morrer.minha esposa e minha filha ficou do lado direito e eu e meu filho do lado esquerdo.fechem os olhos e fechamos.os tiros foram disparados,não sentimos nada,abrimos os olhos rapidamente, era o xerife e seus policiais,que abateram nossos inimigos.eu sou o xerife ronaldo e meus policiais,chegamos um pouco tarde, pois tivemos que lutar contra o connel, que queria esta fazenda ilegalmente e que ja tava colocando o povo com muito medo,ofereceu para mim muito dinheiro,mas recusei, lutamos e matamos todos lá e o restante aqui.ficamos agradecidos xerife ronaldo e sua equipe,quero que saiba que a minha fazenda sempre estará de portas abertas para voces.

 

                                                                                                         Davi simas couto

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP