MATERNAR

 

MATERNAR

 

Eu era  ainda menina, cheia de inocência

Mas já sabia o nome que eu daria

Àquele ou àquela que de mim nascesse...

 

Eu  bem desconhecia o que era desejo

As sensações  do toque, as coisas da emoção

Ou o simples gosto, o sabor de um beijo...

Nunca havia tido um sonho romântico

Ou sequer imaginara ter um namorado.

 

Mas brincando de bonecas eu já maternava

Em minhas pueris brincadeiras de casinha,

E ao peito feito de laranjinha  eu amamentava

Meu rebento imaginário, qu’eu acalentava

Como mãe consciente que em seu seio doa vida

À vida que no ventre traz como semente...

 

E o tempo deu-me a graça de me tornar mulher

Fazendo acontecer meu sonho de criança,

E ao solo de meu útero fez brotar o amor

Enchendo-me o ser de luz e esperança...

 

Só posso agradecer à Deus esse mistério,

Ao homem que cedeu-me sua seiva de vida

E a chance de ser mãe, gestar o amor, dar a luz

Sorrir, chorar, intensamente viver meu puerpério...

 

E assim como Maria ao ventre encarnou o verbo

Meus filhos são a mim, a encarnação do sonho,

O meu presente santo, razão de minha alegria.

 

 

By Nina Costa, in 22/04/2018

Mimoso do Sul, Espírito  Santo, Brasil.

 

N.A.: Emocionada, dedico aos meus filhos Odilon dos Santos Costa da Mata e Pablo dos Santos Costa da Mata, que nasceram no mês de Abril, e ao pai deles José Fernando da Mata (in memoriam), que me cedeu sua seiva de vida.

 

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Adm

    Dá pra sentir o derramamento de tua emoção sobre a emoção de quem ler teu poema.

    Parabéns pela tua linda inspiração e teu sublime momento.

     

    • Obrigada, Edith!

      Realmente, emocionei-me escrevendo esse poema. Fi-lo não simplesmente com intenção de concorrer, mas expressando meu desvelar de alma ante meu momento mais sublime na vida, a MATERNIDADE.
      Ser votada pelos amigos que lerem e apreciarem meu escrito, certamente me alegrará, mas compor este poema já me enlevou a alma por demais. Obrigada!

      Beijos!

  • Lindo, Nina! Parabens!

    • Obrigada, Marso!

      Abril é um mês especial para mim, pois nele reside a memória viva de minha maior alegria: o nascimento de meus filhos... A concretização de meu maior sonho: ser mãe.
      Sou grata à DEUS por isso. 

      Beijos!

      Nina

This reply was deleted.
CPP