Ah, ignóbil cupidez!

 

 

Ah, corre em meus olhos abrasados
Um rio de sangue em teia,
Que em prantos, dilacerado incendeia,
Toda fúria e ciúmes irmanados!

*

Vês o quanto sofro por tua ausência...
Depois que partiste para outros braços,
Não mais sentirei o calor dos abraços,
Daquele gozo ardil sob dormência!

*

Destarte, um dia, cairei aos teus pés!
Para desaguar essa infinda amargura,
Qu'me aprisiona em báratro trevoso!

*

Oxalá! Que o tempo seja piedoso!
Permitindo-me sair desta clausura,
Afastando-me da ignóbil cupidez!

*

                                                                                                                     Elzana Mattos

                                      **********

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    Lindíssimo.

    • beijos_17.gif

    • Obrigada Margarida, flor poetisa! Beijos
  • Gestores

    destaquee.png

    • Angélica, que alegria e honra..., receber este comentário gentil e poético!
      Obrigada de coração, um abraço carinhoso, Zana

      000xste8.gif

  • This reply was deleted.
    • 101.gifObrigada Márcia,
      ... divina poetisa,

      Beijos, Zana

  • Parabéns, poetisa amiga, poema lindo, primoroso, adorei. Abraços, paz e Luz!!!

  • Elzana parabéns uma

    belissima inspiração poética abraço...

    • 101.gif

This reply was deleted.
CPP