DIANTE DO ESPELHO

DIANTE DO ESPELHO

Ás vezes quando olho no espelho
Não me reconheço,
Espero encontrar a menina de quinze anos
Cheia de sonhos e planos
Romântica e cheia de esperança,
No entanto, encontro uma mulher madura,
Cheia de realidade,
Que não quer envelhecer,
Ainda que os anos insistam em passar...
Os sonhos ainda perduram,
Apenas amadurecidos também,
Alguns esquecidos, outros apagados,
E outros vivos como nunca.
O espelho não reflete a mulher que sonhei ser,
Mas a vida me devolve a cada dia,
O reflexo de todos os sonhos que ousei sonhar,
De todas as lutas que travei,
Internamente e externamente,
Das saudades que senti e deixei de sentir,
Dos amores que amei e deixei de amar,
Da vida que vivi e que vivo a cada dia.
Carrego impresso em mim resquícios
De todos os momentos bons vividos,
De todos os sorrisos que não ocultei,
De todas as gargalhadas escancaradas
Que a vida me permitiu ressoar,
De todas as lágrimas que deixei rolar...
Não sou mais a menina sonhadora de outrora,
Mas sou a mulher cheia de ânsia de viver
Que a vida gentilmente deixou que eu me tornasse.

Virgínia Santana

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

This reply was deleted.
CPP