... e a vida flui...

 

O espírito da vida fala, fala-me
fluindo no fluxo do dar e receber
sem questionar quem sou.
Ampara-me quando desamparada me sinto.
Como uma flecha dispara do topo da cabeça
até abaixo do meu ventre.
Conecta-me com a Terra
trazendo música aos meus conflitos.
Alegria, amor, desilusão, medo, inspiração...
Sou toda eu, nua de máscaras.
Aceitar-me leva-me ao conhecimento
da minha força vital:
que faço parte do fluxo do espírito da vida
que me ensina a sair dos rios turvos
onde corro o risco em afogar-me vazia e esgotada
por doar demais
pois descansar é amar-me,
encontrar-me no equilíbrio.
Receberei tanto, tanto quanto necessito
e plena
voltarei a doar.
Enquanto tudo isso, a vida flui,
flui sem parar
ainda que despida e deslocada seja a aparência da árvore.

Fernanda R-Mesquita

 

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gratidão por todos os comentários. Desejo a todos um feliz natal e um bom ano novo. Abraço fraterno!

  • Amiga Fernanda. Só agora consegui ler um pouco. Peço lhe desculpa e a todos os poetas desta casa pela minha ausência. Magnifica interpretação da imagem e o poema é lindíssimo. Beijinhos grandes e parabéns!! 

  • Muito bom seu poema, Fernanda!

    Há uma análise interior e exterior

    da imagem, muito bem colocadas!

    Abraço! Bjs.

  • Maravilhoso poema ,Fernanda!

    Parabéns!

    • Obrigada Marcia! Um bom domingo!

  • Belíssimo texto, gostei muito. Abraços.

    • Muito obrigada Claudio. Abraço. 

  • 136299745?profile=RESIZE_710x

  • 136299662?profile=RESIZE_930x

    • Gratidão Marsoalex! 

      Abraço

       

This reply was deleted.
CPP