Haverá sempre por aí


Haverá sempre  por aí
um anjo procurando uma razão
para ver o sol nascer sobre os ombros da terra,
querendo ter a certeza que nenhum dos seus irmãos
ousa inventar uma forma
de resistir ao seu brilho.

Haverá sempre um anjo por aí
vigiando cada madrugada
enquanto os homens teimarem em chamar de Senhora
à sombra que alonga a distância até à luz
e enquanto deixarem o trigo bailar sozinho nas encostas
e as árvores contando histórias ao vento.

Haverá sempre um anjo por aí
vigiando cada madrugada
até que se sinta saciado de alegria
por saber que as roupas dos homens
são a aguarela feliz das suas almas.

Ao mais solitário
haverá sempre um anjo trazendo o nascer do sol.

Fernanda R. Mesquita

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

This reply was deleted.
CPP