Nuvens brancas

3665949368?profile=RESIZE_710x

 

Viajo pelas nuvens brancas

Entro na bruma da memória

Sou história inacabada e só

Que paira no céu sem voz

Nas rotas largas e francas

Quando subo sou albatroz

Ao descer pareço uma águia

Feroz contumaz e sem dó

Ao sobrevoar a nossa terra

Sinto uma tontura dormente

Dos lapsos do amor sem paz

Isso mantém-me pairante

Distante ausente e além

Queria subir muito acima

Olhar o mundo todo branco

Descolorido como um mangue

Sem migalhas e restos de sangue

 

Mongiardim Saraiva

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    UAU... Poeta Mongiardim Saraiva!!!

    Mergulhei fundo -  nos teus sentimentos
    e na leitura - confesso - perdi minha voz
    sentindo-me qual o sentir de teu Albatroz!
    Qual o manto de Nuvens quando parada
    me senti qual a tua Águia em voracidade
    buscando a PAZ nu'a história inacabada!!!

    NOSSOS (e meus) APLAUSOS CALOROSOS!!!
    gaDs

    3624161051?profile=RESIZE_710x

    • Que bom te emprestar as asas e a sensação de voar... Um forte abraço apertado pelo vento e amparado pelas nuvens brancas! Muito obrigado,  Zeca! :-) :-)

  • Gestores

    3666957149?profile=RESIZE_710x

  • MARAVILHOSO!!!

    Adorei seu poema! Adorei seu versejar!

    Virei fã.

    Beijos!

    Nina

    • É uma honra!

      Muito obrigado pelas suas palavras.

      Beijo.

    • Muito bom!

      Beijos!

      Nina

  • Gestores

    3695887075?profile=RESIZE_710x

  • Muito belo, que venha grandes nuvens de paz.

This reply was deleted.
CPP