O Amor no Banco dos Réus

7193523289?profile=RESIZE_710x

Um amor de cumplicidades

Nos levou ao banco dos réus

Culpado ou inocente?

Um pecado envolvente

 

Beijos, carícias e desejos

Arrepios, lábios macios

Tuas mãos me prendem

Emoção, paixão e sedução

 

Abraços apertados se perdem

Em nossos corpos suados

Gemidos, silêncio, êxtase

Somente eu e você no alvorecer

 

Amor bandido e persuasivo

Vejo-me então num cativeiro

Algemada, despida e desprotegida

E o amor no banco dos réus

 

Abriguei por infinitas horas um flerte

Delinquente e inconsequente

Condenada agora estou?

Nunca, simplesmente resiliente!

 

 

 

Luciana Mara Drumond

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    Parabéns Luciana!

  • Gestores

    "Nunca, simplesmente resiliente!"

    Assim, conclui a Luciana - Poeta

    Tornando assim o Amor inocente

    E o Z Leitor apaiXonado se completa!

    gaDs

     

    • Bem assim!!! Obrigada Zeca, obrigada,  abçs!

  • Gestores

    Parabéns Luciana! 

  • Linda poesia, Luciana!

    Parabéns.

    Bjs

    • Obrigada poetisa, que bom que gostou,  bjs!

  • Muito bela poesia, Aplausos mil querida

    • Obrigada poetisa, fico feliz que tenha gostado! Abçs

This reply was deleted.
CPP