Saudade

 
Saudade
 
Da varanda vejo a noite adentrar 
refletindo em minha face o clarão
Recordo como foi bom te amar
invade de saudade o coração.
 
Olhando aquela estrela, então lembrei
O tempo que o amor era alegria
Sob o brilho da estrela te amei.
Com ardor me entreguei naquele dia.
 
O pensamento  viaja a recordar,
Minha alma é tomada de emoção,
Àquele tempo não há co'o voltar.
Me abraça as lágrimas em profusão.
 
As horas passam, o vento assobia 
A noite segue silente...devagar...
Aquele momento matei a agonia 
em teus braços feliz a delirar.
 
Esta noite co' olhar fixo no céu 
Olhando pra estrela, quanta estasia!
Divago em lembranças soltas ao léu
Enterneço com a luz que irradia 
Márcia A Mancebo 
09/12/18
 
 
 
 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

This reply was deleted.
CPP