Poesias

Louco de Barro

Louco de Barro

Já não tenho mais um tempo para loucura
Ela se perdeu na eternidade de meus dias
Gela em dias de sol e queima em dias de fogo
Porque é assim que plenamente eu fico louco

Não vim te possuir por um instante 
Nem quis te entender sua cadela
Não haverá espaço o bastante
Para que eu te encontre dentro dela
Aquela que um dia foi meu vasilhame

Hoje não posso nem fumar um cigarro
Por isto encho minha janela de flores
Multicores e formas, em jarros de barro
E sonho o sonho dos amantes e sonhadores
Porque será este o ultimo instante

A noite já me espreita pelas ventas
Se tenho que morrer então que eu morra
Não quero renascer nestas tormentas
Não quero fazer parte desta porra

alexandre


Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Alexandre

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP