Poesias

OS IMPERFEITOS

OS IMPERFEITOS

Arrepender-me por que?
Arrepender-se é abrir a porta para o fracasso.
Arrepender-me por amar?

Arrepender-me desse sentimento intenso
Que acende a força interior?
Arrepender-me de fazer do amor
A mola que sustenta o meu mundo?

O arrependimento acredita no passado
E amor vive no presente.
É melhor o amor depois
do que uma solidão a dois.

O arrependimento é a certeza da incerteza.

Quem ama desconhece o perdão,
Porque a alma de quem ama é limpa,
Mesmo nos realces do imperfeito.

Perdoar é o alicerce do arrependimento.
É preciso descobrir, aos poucos,
O que nos revela o diálogo interior.

O amor é uma brincadeira arteira,
Deixa-nos feliz por um instante,
Um instante antes de ser conhecido,
Mas o melhor instante já vivido.

Arrepender-me de que?

Se até o sofrimento se vai com o vento
E uma linda lua nua se coloca em seu lugar.
Arrepender-me de ter ofertado o mar,
Mesmo sabendo tratar-se do impossível?

Impossível é não ter o mar quando se ama,
O mar é a paz reinante do amor
E as ondas inconstantes da vida.

Não existe esquecimento,
O que existe é o momento de não lembrar
E ter somente no olhar
O que de melhor se reservou.

O que acabou, nem sempre acaba,
Respira, na tênue linha entre a vida e a morte,
Quando o filme de tudo o que passamos
Passa em quadros coloridos nas nossas mentes.

Os inteligentes, amam,
Os outros, se arrependem,
Os demais, perdoam.

Quantas sombras já estiveram
Nos corredores em que caminhamos?
Mas apenas a sombra
De dois corpos que se amam
Jamais deixará de ser
A sombra que impregna a alma.

Versos, eu escrevo,
Amor, eu vivo.

Ainda que a distância,
E do outro, a indiferença,
Insista em permanecer no ar,
Eu sempre vou procurar
Um novo ar para respirar.

E meu contento, a felicidade,
É saber feliz
Quem amo de verdade.

E minha tristeza,
Meu coração sabe,
E de quem vive em falsidade.

Do que me arrepender?
Quero viver a eternidade
Que meu espiríto permitir
E meu corpo suportar.

Nem perdoar, nem arrepender-me,
Aprender a esperar, reconhecer,
Que nem tudo ou todos são o que são,
Uns vivem com os pés no chão,
Outros, somente com o coração.

Mário Sérgio de Souza Andrade - 18/03/2017

"Gratidão eu dedico somente aos meus pais, aos demais, meu agradecimento"

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e das Poesias.

Join Casa dos Poetas e das Poesias

Comentários

  • Maravillosas letra

    gracias por compartir

  • Adm

  • Adm

  • Que inspiração soberba meu caro Poeta Mário Sérgio. O amor é sentimento profundo que brota como magia e se aloja no coração alimentado sempre esta emoção. Meus parabéns. Abraços.

  • Um poema sentimental, sentimentos que grita os sentidos. Aquele que ama perdoa, aquele que pede perdão tem o verdadeiro amor no coração. Um poema que esta

This reply was deleted.
CPP