Poesias

Sem fronteiras

 

 

 

Sem fronteiras

 

Às vezes sou a maciez do linho
O tic- tac das horas a fio
A estrofe de um verso em desalinho
Sou calor, mas não temo o frio

Uma andorinha livre na manhã de verão
Em dias enevoados, faço minha luz
No refrão de uma velha canção
Nas searas onde o verbo me seduz

Nas ondas do meu ser, sou energia
Envolta em momentos de prazer
Visto as cores do querer e da ousadia
O amor preenche todo o meu ser

Absorvo a vida em outros contextos
Não me atenho a um único tema
Sigo versejando a vida com ardor
Pois minh'alma nunca foi pequena

 

 

Lilian Ferraz

 

 

 

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Lilian Ferraz

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Maravilhoso belíssimo poema ameiiíii 

  • Excelente poema! Parabéns a Lilian Ferraz pela ótima exposição que demonstrou sólido conhecimento literário. Doa em quem doer não há limite para uma poetisa empreendedora! Se a gente vivesse de comentários estaríamos mortos com certeza, eu lamento muito que muitos não tenham em sua essência o dom de comentar os amigos de letras! Deixo aqui o meu abraço e minha admiração ao seu trabalho.

  • Belíssimo aplausos fantástico abraços 

    • Olá Meire

       

      Muito obrigada pela sua atenção e incentivo

       

      Boa noite

       

      Abraços

This reply was deleted.
CPP