Então disse o Criador: Faça-se o Amor!

*** *** *** ***

Então disse o Criador: Faça-se o Amor!

 

Mais do que a historicidade cronológica e até mesmo da historicidade Poética, este nosso Conto, não se inspira em nada. Ao contrário, sem se preocupar com Autoria, É inspirado em vozes espirituais – talvez advindas de um Além que pode Ser e Estar ao nosso redor.

Depois de um “faça-se Adão e pouco depois Eva”, os mesmos em desobediência humana foram amaldiçoados pelo pecado e expulsos do Paraíso. E assim a humanidade carregou nas costas este pecado original, até que em dado momento, o Criador, re-expandindo a Si mesmo:

Então disse o Criador: Faça-se o Amor!

Assim teve reinicio a Salvação do Mundo por ELE mesmo criado, ora com o seu Sopro Divino através do Espirito que fertilizou a u’a Virgem – Maria – para que pelos séculos dos séculos rime com Poesia. Isto era em Janeiro.

Nove meses depois, como toda a Humanidade, o Amor ora recriado pelo PAI, se materializa no seu nascimento, pelo qual agora emocionado, dobro os joelhos perante o AMOR que renasce e desse Amor me cubro. Era Outubro.

Assim É que este Conto, passa a antecipar o que mais do que preciso é “tradicional” que chamamos de a Festa do Natal.

Assim É que pelas rimas da Poesia, o AMOR venceu o Mal!!!

*** * ***

221017 – gaDs *** Intuído specialmente para o Evento Poesia sobre TEMA

                  Da CPP – Casa dos Poetas e da Poesia

*** *** *** ***

MMM

MMM

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Li, amei, formatei! Bjs

  • Adm

    E, sempre, o amor, há de vencer as hostes do mal.

    Não prevalecerá sobre o bem, jamais!

    Parabéns, Zeca!

  • Lindo demais...

  • Muito bom, poeta Zeca! 

This reply was deleted.
CPP