Gestores Adm

Oficina I - Desafio Poético sobre palavras aleatórias

719441?profile=original

PROPOSTA

 

Esta oficina destina-se à composição de poemas

sobre palavras deixadas aleatoriamente.

Regras

1. Ficarão em tela 4 palavras aleatórias para composição.

2. O participante deve compor nas palavras em tela

e ao postar seu poema, deve deixar outras

4 palavras para o próximo participante.

4. Os poemas criados devem ser postados na caixa de cima.

 

Boas inspirações!

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Palavras em tela:

    Casualidade, referência, singelamente, eufórica

  • Trajetória

    A lua em surdina, longe se esconde.
    Sem pestanejar o Sol rompe lindo
    e urgente deixa a manhã radiante
    Nasce o dia claro, com aroma infindo.

    É verão e as flores exalam perfumes.
    A suavidade atrai pássaros cantores
    e a brisa entra pela janela e leva
    todo o suspirar forte e o queixume.
    Uma paz na alma vem se abrigar.
    Belo momento, sensação sublime.

    Em estesia procurando nada, vejo
    esgueirando a sacada um pé de açucena
    sacudindo as folhas, sem notado, ser.
    Sinto que a natureza parece que acena.
    Acena a Deus em louvor pelo viver.

    O dia segue quente com o céu azulado
    cumprindo a trajetória com felicidade.
    Nuvens sem asas dançam no ar o xaxado
    A noite vai adentrar trazendo saudade.

    Márcia A Mancebo
    21/02/2020

  • Gestores

    Palavras em tela:Surdina, urgente, pestanejar, esgueirando

  • Gestores

    A volúpia da lua

    Nas brumas dos meus sonhos
    Em ritmos e rimas lavradas
    Pela solidão raios lunares
    Matizados de poesia é a
    Essência que perfuma a emoção
    Esteio para a minha fantasia.

    Afastando os horripilantes pesadelos
    A volúpia da lua desce a ladeira do infinito
    E incorpora o seu aroma em meu corpo
    E derrama no chão de sua passarela
    Tornando o meu sonho tão bonito
    Com seu toque de brilho e aquarela.

    Dispersando a larva da tristeza
    Na sua fonte prateada de luar
    Que, agora, embala o sonho e a noite
    E dentro do golfo da memória
    Guarda em silêncio a pluma de teu nome
    Como marco eterno de uma história.

    E no horizonte sem chão onde caminha
    A lua ostenta sua graça e beleza
    Rodeada de estrelas, mas sozinha
    Faz e refaz o ciclo de sua natureza.

    Marsoalex – 20/02/2020

  • Palavras em tela:

    Esteio, horripilante, larva, horizonte

  • Metamorfose.

    Sou pupila da vida, compreendi.
    Estou envelhecendo e muito aprendendo
    Vejo e ouço coisas que jamais vi e ouvi
    Fico sozinha refletindo...pensando
    O mundo está diferente do que aprendi.

    Tenho que seguir como segue os demais.
    Não sei se estou errada, assim, pensar
    Se não aceitar, fico para trás,
    Me sentirei isolada, chata... sem poder explicar.

    Sinto meu velho coração apertado
    ter que fazer uma demolição,
     meus roteiros são antiquados
    e serei chamada de velha sem noção.

    Resta apenas rezar e seguir a corrente;
    estar alerta se houver algum imprevisto.
    Estar pronta pra ajudar essa gente,
    essa moçada que pensa diferente,
    que vê o futuro com olhos luzentes.

    Márcia A Mancebo
    18/02/2020

  • Gestores

    Palavras em tela:Roteiros, demolição, pupila, imprevisto

This reply was deleted.
CPP