Gestores Adm

Oficina de Plêiade com a inicial J

Oficina de Plêiade com a inicial

Regras

1. Todos podem participar

2. O participante deve compor com a palavra deixa em tela, que será o título do Plêiade e, deve deixar outra palavra para o próximo partiicpante.

3. Os plêiade devem ser postados, sem formatação, dentro da caixa de comentários abaixo.

4. Permite-se comentários pelos participantes ou membros da Casa.

5. O título do plêiade será, sempre, a palavra deixada em tela.

Seja Bem vindo! Boas composições!

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    Jagunço

    Juraste um amor que não me deste
    Jogaste fora o amor que eu te dei
    Jogar sujo é fingir o que não sente
    Jura é argumento de quem mente
    Jogo que, eu, inocente, acreditei.
    Jamais eu deveria te amar
    Julgo-te um covarde por me enganar.

    Marsoalex - 14/11/2019

     

  • Gestores

    Jagunço

    Já nem sei porque esse amor se impõe
    Joga seu peso sobre minha vida
    Joio, ceifa o trigo não repõe
    Juro que é cobrado em ferida.
    judiação diária, permanente,
    Joça que me deixa deprimida
    Jugo que me mata lentamente.

    Marsoalex -14/11/2019

     

  • Gestores

    Jagunço

    Jardim florido é meu coração
    Jardineiro és tu que o cultivas
    Jogando nele água pura de emoção
    Juvenescendo, mantendo as flores vivas
    Júbilo maior que eu tenho nesta vida
    Jamais me afastarei de teu amor
    joia rara que a mim foi conferida.

    Marsoalex - 14/11/2019

     

  • Gestores

    Jagunço

    Julgue por si mesmo a minha dor
    Jamais queira estar em meu lugar
    Jorrando de seu peito esse amargor
    Juntando o seu amor e o seu penar
    Jamais irás querer ter minha vida
    Jogada entre o azar e o azar
    Jazendo pelo mundo, morta viva.

    Marsoalex -  14/11/2019

  • Gestores Adm

    Palavra em tela

    Jagunço

     

  • Gestores Adm

    Janela

    Jacintos, flores belas, perfumadas!
    Jacarandá florido, oh lindeza!
    João-de-barro lá fez o seu ninho,
    Juntando fragmentos de argila,
    Justou, poliu, limpou e hora em hora, tão
    Jubiloso ia com destreza, qual
    Jardineiro a cultivar as flores.

    Edith Lobato - 16/08/19

This reply was deleted.
CPP