POETAS MORTOS?

POETAS MORTOS?
Eri Paiva

Aos poetas que encontro e nos fazemos
Amigos para juntos criarmos, no momento,
Os versos de amor à vida que tecemos
No ir e vir poético ao qual nos prendemos,

Algum dia haverá que partiremos daqui
E em outro espaço viveremos em verdade
A vida, que outra nunca teremos, se diz
Porque lá se vive verdadeira fraternidade.

Há que descobrirmos se alguma já existe
Para agregar os chamados "poetas mortos"
Em mim algo me fala e em segredo insiste
Que continuaremos poetas com novos corpos

Mortos não se é... depois que daqui se vai
Destituidos da carne, seremos sim pura luz.
Ser luz é, de fato, a vida que nunca se esvai...

Poetas vivos em corpos de luz! É a felicidade
Que vamos experimentar tecendo versos
Sonoros, cadenciados, em feliz sociedade!

Parnamirim/ Rn -

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Amada amiga e poeta, obrigada com beijinhos.

    8138343077?profile=RESIZE_584x

  • Belíssima poesia. Aplausos mil

    • Norma que bom ter a tua apreciação movida a aplausos. Sou grata querida.

  • Gestores

    A poesia nunca morre e, desta forma, o poeta se imortaliza.

    Lindo poema, Eri.

    Parabéns!

This reply was deleted.
CPP