Um coração sem talvez...

Amparo dias ardentes, noites solitárias...
Acolho sonhos imersos nos confins da alma;
Desconstruo angustias, recomponho fantasias
Decodifico, supero mágoas, dores angustiantes
Cada ecoar é envaidado pelas vorazes lutas.

Contesto o desaguar que vasa pelos olhos,
Como cachoeira límpida nas nascentes do rio
Costuro com agulha de ouro o caos do acaso
Insisto em resgatar as fibras deste órgão cheio de brio.

Viajo sonhos entre nuvens alvas de algodão
Pulsando compassadamente... indômito!
_Mesmo assim, sigo as trilhas do destino através
De caminhos ermos sem encontrar uma paixão,
Sem encontrar outro coração que não seja um talvez...

Luly Diniz.
12/08/21.9416370099?profile=RESIZE_400x

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    Relendo e admirando!

    • Obrigada mais uma vez por ter seu comentário abrihantando a página, beijos no coração.

      Luly

  • Gestores

    Parabéns Luly!

    • Agradeço a gentileza de todos que me deram a hora dos  gentis comentários,beijos da

      Luly

       

  • Gestores

    9539496886?profile=RESIZE_584x

    • Obrigada Angélica, é um prazer fazer parte desta casa de poesias,

      feliz por ter sua aprovação do que escrevi, beijos....

      Luly Diniz.

  • Muito bela poesia. Magistrais  versos 

    • Boa noite Norma, obrigada por ler e comentar o que escrevi, prazer imenso saber que gostou,

      beijos no coração,

      Luly

  • Há caminhos que desagua os olhos 

    • Os olhos e o coração são o espelho da alma, seria bom não fosse tão visível...

      As lágrimas deveriam ser invisíveis, para algumas pessoas é sinal de fraqueza, para mim é uma prova que temos sentimentos,

      Obrigada por me dar a alegria de ter seu comentário, beijos...

      Luly

       

This reply was deleted.
CPP