AMAR

Se ao menos me fosse permitido

Deixar de amar as coisas

Que eu amo nesta vida

E que realmente eu não

Deveria amar eu apenas

Ver-me-ia sem graça

E sem motivo para viver.

 

Pois sei que eu perderia

Toda a graça e nunca mais

Viveria com vontade de viver.

 

Pois realmente o que me conduz

De verdade esta minha caminhada

Que se torna tão sofrida

E cheia de amor,

São apenas as emoções

Constante que chegam,

Entram e saem de minha vida.

 

De poder te amar sempre

A cada dia de minha vida,

Sem sofrer por este amor,

Que hora esta fazendo

Moradia em meu coração

Que bate o compasso suave

Das batidas deste amor

Que tenho dentro de

Minha vida que é amar.

 

Marcus Rios

Poeta Iunense - Acadêmico -

Membro Efetivo da Academia Iunense de Letras (AIL)

Membro Efetivo da Academia Marataizenses de Letras

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP