No silêncio do possível

No silêncio do possível

Seria tão bom viver
Sem conhecer a tristeza,
Mas, há muitos a sofrer
Não veem da vida, a beleza.

O sofrer a alma corrói,
Disso digo com certeza
Já senti essa dor que dói
Me cobrindo de incertezas.

Tentei da dor me livrar
Procurei todos os meios
Quis até me renovar
Me envolver em mais enleios.

Investi em situação
Amar com tamanho ardor,
Mas feri meu coração
Nem sequer senti sabor.

Ser feliz é que sonhei
Atingindo o impossível
Desisti e me guardei
No silêncio do possível!

Tanto quis nada encontrei
Até Deus cruzar comigo
Aprendi que nada sei
Ao ter Ele como amigo.

Encontrei felicidade
Ao carregar minha cruz
Trilho com serenidade
Meus passos, Ele conduz!

Márcia A Mancebo

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Que te conduza como desejas.

    Gostei.

    Abraço

  • Não existe a felicidade irrestrita. Passaremos todos por tristezas e alegrias.

    Bela Poesia em bela temática Poética.

    Parabéns amiga Márcia.

    Sócrates disse.." Só sei que Nada sei"

    Abraços de Antonio Domingos 

     

     

     

This reply was deleted.
CPP