O Meu Retrato

3996530390?profile=RESIZE_710x

O Meu Retrato

Eu não tinha este rosto de hoje,
Tão triste, tão vago, tão magro,
Nem estes olhos tão longes,
Nem o sorriso tão amargo.
**
Não consigo bradar o meu peito,
Que por frieza, engano e distancia,
Morre, mirra, imperfeito,
Como a fome de uma criança. 
**
Eu não dei por esta mudança,
Tão cegas estão as minhas rugas,
No espelho, ficam as lembranças,
No tempo, as palavras mudas.
**
Compreendi que os amigos que fiz,
Não me fizeram nada, além de inquietude,
Não me cantaram como ser feliz,
Nem nos seus corações eu coube.
**
Antes que as mágoas me façam sangrar,
Nestes versos eu choro em palavras,
Em pranto fica todo o meu pomar,
Desertas ficam as minhas lavras.
**
Cristina Ivens Duarte-03/03/2020

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Cristina Ivens Duarte

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Não existe poesia triste ou alegre.....Poesia é Poesia......

    O tempo passa na gente tão de repente...

    Seus versos é uma contemplação de seu tempo.... Não gosto de falar reflexão, mas de certa forma é uma auto meditação de sua vida......Como?  Em belos versos contemplativos de uma existência

    Uma poesia e só... Somente uma Poesia...

    Parabéns amiga das palavras Cristina Ivens Duarte....por mais esta obra..   

    Abraço de Antonio Domingos

    • Muito obrigada caro poeta António, pelo seu genoroso comentário. Abraços de além mar. 

  • Gestores

    4000453680?profile=RESIZE_710x

  • Gestores

    3852987278?profile=RESIZE_710x

This reply was deleted.
CPP