Restos de dias...

Restos de dias...

O sol nasceu e está pálido sem sombra
Na manhã uma tristeza impera no ar
Pássaros voam calados e assombra
meu coração ansioso a te esperar.

Converso com meu Ser, respiro fundo;
Não vens e não virás tão brevemente.
A saudade a rasgar meu pobre mundo
de solidão, ah, vazio impertinente!

O assovio do vento traz mensagem
A inquietação a invadir em mim espalma
restos de dias perdidos pelo ar.

Folhas secas bailam trazendo a imagem
da alegria que existia em min' alma
espelhando olhos fartos a brilhar.
espelhando o olhar farto a cintilar...

Márcia A. Mancebo
07/05/2020

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores

    Mais uma belíssima obra poética! Parabéns Márcia! 

This reply was deleted.
CPP