SOLIDÃO

Depois de muito pensar,

Eu descobri a solidão,

Tudo foi tão de repente,

Que eu fiquei sem ação.

Não sei o que me aconteceu,

Só sei que tudo foi verdade.

 

Solidão,

Sólida como um amuralha,

Quieta como um armário.

 

Solidão,

Que por mais que esforce,

A gente não muda

O nosso semblante.

 

Solidão,

Que abate as pessoas,

Fazendo que ela sinta

Um vazio dentro de si.

 

Solidão,

Que só com o carinho de uma pessoa,

Que desaparece,

Quando a gente descobre o amor

A solidão sai deixando

Reinar só o amor.

 

Comendador Marcus Rios

Poeta Iunense – Acadêmico –

Membro Efetivo da Academia Iunense de Letras (AIL)

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP