Vestido branco

Algumas vezes não há nada o que se possa fazer exceto esperar
Assim como as árvores aprenderam o tempo da tempestade fria
Abrindo suas folhas aspirando o aroma da chuva prestes a chegar
As folhas em branco sabem quando as lágrimas apenas viram poesia

No equilíbrio desse caminho desajeitado que chamamos de vida
A sensação do sol aquecendo nossa derme queimando nosso corpo
Pode ser tão boa quanto o temporal resfriando nossa pele ferida
Trazendo-nos entusiasmo talvez uma surpresa ou apenas conforto

E aquela folha em branco sabe bem como isso tudo funciona
E recebe com carinho cada lágrima que cai em sua superfície
À cada uma dá uma letra faz com que juntas sejam apenas uma
O que não tinha imagem era vazio vira rio inunda de versos a planície

Talvez quem sabe seja assim que uma folha virgem de vestido branco
Consiga através do pranto trazer ao mundo de cá uma rosa um sorriso

Deus abençoe aqueles que acreditam em ser feliz
Carlos Correa

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • "Talvez quem sabe seja assim que uma folha virgem de vestido branco
    Consiga através do pranto trazer ao mundo de cá uma rosa um sorriso"

    Parabéns!

    Encantada com tanta beleza.

    Bjs

This reply was deleted.
CPP