Adm

Tema para criação de cordel: Meu nascimento

Inspire-se em seu nascimento ou crie uma história como criei a minha.

Deixe a poesia falar ao coração e manda brasaaa!

Todos podem participar!

Faça seu cordel em quadras, sextilhas (estrofe de 6 versos), septilhas (estrofe de 7 versos), oitavas(estrofes de 8 versos) e décimas estrofes de 10 versos), a escolha é sua.

Boas composições!

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • MEU SANGUE SERTANEJO

     

    Sou cabocla sertaneja

    Aprecio muito natureza

    Gosto muito de namorar

    De ver a lua e sua beleza

    Gosto muito de cavalgar

    E na roça conto proezas

     

    Agora eu vou desafiar

    Quem mora na cidade

    Prender vaca no curral

    Tirar leite com facilidade

    Quero ver fazer doces

    E dançar com felicidade

     

     

    No baile quero cantar

    As modas já decorei

    Pular até uma fogueira

    Os meus pés já treinei

    Da estrada como o pó

    Sou cabocla já declarei

     

    Até roças ajudei plantar

    E muita cobra já matei

    Não tenho medo de nada

    Até a onça já enfrentei

    Ando armada de coragem

    Sou cabocla já confessei

     

    Tive que vir para cidade

    Mas sou da roça afilhada

    Ando no sol o dia inteiro

    Pois já estou acostumada

    E lá há tanta trabalheira

    Que até hoje sou calejada

    Mas foi amor que aprendi

    Com a flor da simplicidade

    Amar e cuidar da natureza

    Entrar e sair com humildade

    Plantar flor no jardim da alma

    E cultivar sempre a verdade

    (Norma Ap. Silveira de Moraes)

    Maio de 2018

     

     

     

  • RENATO ARAGÃO

    O ETERNO TRAPALHÃO

     

    Com minha inspiração

    Vou falar dum cearense

    Com bastante euforia

    É um artista do humor

    De bastante categoria

     

    Eu sou um cearense

    E decanto o meu lugar

    Os vultos e seus heróis

    Não deixo de decantar

    Mas esse meu conterrâneo

    Tenho que ele exaltar

     

    Nascido em trinta e cinco

    Na cidade de Sobral

    Antonio Renato Aragão

    Um ser tão genial

    Mudaria o humor na TV

    Com seu jeito pessoal

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    RENATO ARAGÃO

    O ETERNO TRAPALHÃO

     

    Com minha inspiração

    Vou falar dum cearense

    Com bastante euforia

    É um artista do humor

    De bastante categoria

     

    Eu sou um cearense

    E decanto o meu lugar

    Os vultos e seus heróis

    Não deixo de decantar

    Mas esse meu conterrâneo

    Tenho que ele exaltar

     

    Nascido em trinta e cinco

    Na cidade de Sobral

    Antonio Renato Aragão

    Um ser tão genial

    Mudaria o humor na TV

    Com seu jeito pessoal

     

     

     

     

     

    RENATO ARAGÃO

    O ETERNO TRAPALHÃO

     

    Com minha inspiração

    Vou falar dum cearense

    Com bastante euforia

    É um artista do humor

    De bastante categoria

     

    Eu sou um cearense

    E decanto o meu lugar

    Os vultos e seus heróis

    Não deixo de decantar

    Mas esse meu conterrâneo

    Tenho que ele exaltar

     

    Nascido em trinta e cinco

    Na cidade de Sobral

    Antonio Renato Aragão

    Um ser tão genial

    Mudaria o humor na TV

    Com seu jeito pessoal

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  • Nasci na zona da mata

    Lá das Minas Gerais

    Primeira filha, também neta

    Nova criança na família

    Parecia que tudo ia dar certo

    Se não fosse meus pais brigarem

     

    Então a cada ano foi nascendo

    Mais um irmãozinho vindo

    Como filha mais velha

    Tinha que pajear os menores

    E meus pais iam lutando

    Para dar a todos o de comer

     

    Antigamente, os recursos

    Ter um emprego era difícil

    E meu pai tirava da terra

    Todo sagrado alimento

     

    E já levava os filhos

    Para ajudar na lida

    Arar, plantar ou colher

    Estávamos todos unidos

    Naquele pedaço de chão

    Ia passando minha infância

     

    Era um tempo de pureza

    Apesar de tanta dureza

    Éramos crianças inocentes

    Sem medo de violência

    Vivendo na simplicidade

    Bem longe da cidade

     

    O tempo foi assim passando

    E fui crescendo também

    Logo fui então para cidade

    Começar nova vida, estudar

    E depois já casada, tudo mudou

    Pois fui criar os filhos que tive

    E cada irmão seguiu a sua história

     

     

    • Ei pessoal, não coloquei rimas, vou ver certo com faz melhor, e depois posto outro...

  • MEU NASCIMENTO

    Nasci com grande esperteza
    No coração do Brasil
    Centro oeste brasileiro
    Onde o milagre surgiu
    Pai e Mamãe adoram
    A novidade feliz

    Dizia um para outro
    Com grande satisfação
    Vamos escolher o nome dela
    Imaginando a razão
    De ter nascido no dia
    De grande confraternização
    Era noite natalina
    Os sinos a badalar

    Deus mandou essa menina
    Que muito vai nos alegrar
    E paixão da minha vida
    O seu nome eu vou citar
    Vamos colocar Tânia
    Com a letra T de Tesouro
    A de achado fica bem
    A letra i de infinito
    A de amor me despertou

    Trazendo muita alegria
    Renovando nosso amor
    Então lembrei-me de Maria
    Mãe de Deus o Salvador
    De Jesus e nossa filha
    Quem Deus nos presenteou

    Vamos colocar Brito da mãe
    E Melo lembrando o pai
    Assim tudo aconteceu
    Na noite natalina
    Abençoada por Deus
    Onde surgiu o milagre
    Uma filha Deus nos deu
    Loirinha como um cristal
    Tesouro encanto meu

    Papai Noel deu risadas
    Deixando a flor do cerrado
    Grande presente meu
    Desapareceu nas nuvens
    Cantando um lindo louvor
    Agradecendo a Deus
    O nascimento da flor

    Ali eu fiz a oração
    Cheio de admiração
    Era o bebe mais lindo
    Daquela imensa região
    Agradecendo ao Senhor
    Por aquele belo anjo
    Que sorrido me alegrou
    Era meu amplo tesouro
    Grande forma de amor

    Tânia M de J B de Melo

    24-09-2017
    Hora: 20: 50
    Brasília - Brasil

    • Adm

      Obrigada por trazer para a oficina.

      Ficou show teu cordel.

  • Adm

    Ninguém mais vai escrever seu nascimento em cordel? Pode ser em quadra, vamos lá gente.

  • Meu Nascimento

     

    Meu nascimento não foi

    Pra meus pais nenhum tormento

    Com dois filhos já grandinhos

    Caíram no esquecimento

    De cuidar pra que a cegonha

    Não montasse acampamento.

     

    Foi então que uma cegonha

    Por sinal, muito atrevida

    Sem perguntar se eles queriam

    Foi voando sobre o telhado

    E num vôo atrapalhado

    Me jogou pela janela

    Que haviam esquecido

    De passar a taramela.

     

    Naquele sete de maio

    Cheguei eu recém nascida

    E em vez de se zangarem

    Fui muito bem acolhida

    Por aquela gente humilde

    Caipiras do interior

    Que trabalhavam

    Em são Paulo Capital

    Numa chácara de flores

    E me deram o nome de Dolores

     

    Papai o jardineiro e feitor

    Mamãe mulher da lida

    Não tinha preguiça para o trabalho

    E fazia boa comida

    Além de passar roupa pra fora

    Pra aumentar a renda da família

    Que estava ficando bem crescida

    E não pararam por aí

    Porque depois de mim

    A cegonha fez mais três visitas.

     

    Hoje somos seis filhos

    Daquela família querida

    Mamãe tem netos e bisnetos

    Aos seus noventa e dois anos de vida

    Papai já está do outro lado

    Onde a dor não faz guarida

    E sei que zela por nós

    Que ainda estamos na lida.

     

    Dolores Fender

    20/12/2016

    • Adm

      É issooo! Vamos praticar, querida.

This reply was deleted.
CPP