Inspirações

E. Rofatto

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Ah Poeta Sorriso Edvaldo...

    Sorriso??? - Seria o "Sorriso" entre aspas (" ") o indicador do Poeta Asceta?

    Onde poderia o sorriso qual o "Ascetismo" dos Palhaços nos Picadeiros das Vidas - sorrirem externamente enquanto por dentro choram?

    Asceta de mim - que teu Leitor - que unindo um "AB ao que SINTO" ingiro tal ABSINTO - apenas pelas suas cores verdes d'ua Esperança que nunca nasce??

    Asceta será CADA UM de Nós que diariamente se suicida aos poucos, bem sabendo o que não devia fazer - mui bem - porém o faz???

    ...

    Ah - Quantos Não Seis que se somam ao meu Não Sei Maior... - Deixe-me tomar mais um trago de meu verd'Absinto!!!

    NOSSOS APLAUSOS E ADImiração crescente por tuas Poesias que em Ascese falam per Ti!

    gaDs

  • Expressando magistralmente desde a imagem até a expressão final do derradeiro verso, a sensibilidade.

  • BRAVO!... É MAGNÍFICA!

  • Disciplinaste a mente para obter teu ofício mesmo sob os piores ardores, porém, com a alma escorreita! Parabéns pela monumental obra, amigo e poeta Edvaldo Rofatto!

  • Bravíssimo!!! Poesia muito eloquente e profunda. Meus aplausos Poeta Edvaldo Rofatto. Abraços.

    • Grato, Ricardo! Profundidade e eloquência também fazem parte do seu olhar, que as reconheceu no meu texto, e, com certeza, do seus poemas tampém, que sempre leio comprazer!

  • Adm

    A estrofe de introdução do poema mostra o quanto o personagem se coloca na posição de domínio de si, não sei se por está em primeira pessoa a força se torna maior ou porque evoca significados bem maiores. Isso se comprova na segunda estrofe e, precisamente, no ultimo verso, o que para mim soa como se disse: nada vai me tirar do trilho, ou do que tracei para este momento. A terceira estrofe mostra como a personagem se sente em relação aos próprios desejos, o fato de ir só sugere reflexão e renuncia dentro desse contexto. E por fim, o olhar mais global sobre o conceito que terceiros podem ter diante de uma escolha própria.

    Amei ler-te. Linda obra.

    Perdão se errei em meu comentário.

    Destacado!

    • Grato, Edith!

      Sua leitura sempre competente é um grande estímulo para escrever mais! Acho também que a 1ª pessoa confere um forte tom confessional (daí a minha preferência por essa posição ao versar). Minha ideia foi realmente fazer um eu lírico com uma certa consciência das emoções e dos prejuízos que causamos ao "pagarmos na mesma moeda" alguma mágoa sofrida, por isso, se negasse esse conhecimento, ele seria pior que aqueles que são inconscientes. Desse modo, como você bem disse, a "reflexão", para compreender mais a si mesmo e a outrem, e a "renúncia", para reafirmar sua posição sem responder a provocações, são as palavras-chave para esclarecer meu texto.

      Recebo um presente cada vez que visita minha página!

  • Belíssimo Edvaldo. Meus aplausos.

    • Grato, Margarida! Fico feliz com sua visita e comentário: admiro muito a pessoa e a artista que você mostra ser aqui na Casa!

This reply was deleted.
CPP