Poesias

ESTRANHO A VAGAR

     “ESTRANHO A VAGAR”

 

 

Vivia a perambular

De cantos em cantos

Como a buscar algo

Que ainda não conhecia.

 

Somente o marulhar das ondas

Me extasiava de prazer

Como se, ao apagar das luzes,

Novas descobertas surgiriam.

 

Era assim!

Minha vida era assim,

Pois os minutos, horas e dias

Que transpunha mostravam-se incertos.

 

Nada do que sentia

Causava-me prazer

A não ser pequenas coisas

Que transpunha com dificuldades.

 

Quantas noites mal dormidas!

Quantos pesadelos insanos!

Quanta desarmonia

Ocorria com este ser que buscava.

 

No transcorrer da vida

Sobrepujou tudo

E, navegando nos mares da ilusão,

Conquistou seu lugar com galhardia.

 

Era um vencedor!

 

JC BRIDON

 

 

 

 

 

 

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores Adm

    Assim é a vida, uma sucessão de idas e vindas buscando as conquistas e realizações de sonhos.

    Parabéns, Julio.

  • Que bom que ao navegar pelos mares da ilusão, foi conquistado o seu lugar. Em tudo a palavra diz, que somos mais que vencedores. Meus parabéns JC, uma bela composição que me muito  encantou...

  • Gestores

    estranhovagarjcbridon.jpg

This reply was deleted.
CPP