Poesias

MENTES DE CONCRETO

“MENTES DE CONCRETO”

 

Com o passar dos tempos

Mentes perturbadas e perdidas

Perambulam como zumbis

Neste Planeta terra.

 

O tempo que não pára

E nem cede caminho

Lenta e rigorosamente segue

Um trilhar enegrecido nas eras vindouras.

 

Somos como abutres

Em busca do nada e de nada

Navegando sem rumo certo

Perdidos em pensamentos e sentimentos sem fim.

 

Não entendemos o progresso

Com internet, computadores e celulares

E com infinidades que sobrevêm como tsunamis

Agigantando-se como imensas vibrações.

 

Saqueamos nosso intelecto

Destruímos nosso interior

Com pensamentos que a nada levam

E vivemos escondidos como se criminosos fôssemos.

 

Mentes de concreto

Poluídas pelos tempos

Nada armazenam, tampouco criam

O que poderá evitar catástrofes gigantescas.

 

Mentes de concreto

Feitas do nada

Criam e desperdiçam

Tudo o que de mais belo existia.

 

Somos o início do fim

O começo das rachaduras no concreto

De nossas mentes que perambulam enjauladas

Nesse misterioso mundo.

 

JC BRIDON – 24/07/2016  =  15,20 hs. 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores Adm

    Carto1.jpg

  • Maravilhoso Bravo Beleza pura
  • Gestores

    Destaquecorao.jpg

  • Gestores

    Que delícia de leitura!!

    Além de concretarmos nossas cidades,

    arrancando tudo que é natural ainda

    concretamos nossa criatividade, 

    nosso direito de pensar, vivemos 

    "bitolados" por tecnologia que a tudo facilita

    e se não usada corretamente, nos leva a um estado

    de letargia total... sem ação... sem reação...

    Parabéns pelo teu texto!!!

  • Seu poema é repleto de uma verdade que literalmente "bate na cara da gente".

    Muito bom mesmo! Bom para refletirmos... e na reflexão mudarmos... creio que é possível... pode parecer utopia minha, mas, se eu deixar de crer, eu morro!

    Obrigada pela leitura, meu amigo poeta!

    Abraços!

    :)

    floramarelaentrepedrasblogterracotajardinagemwordpresscom.jpg

This reply was deleted.
CPP