Adm

I Oficina de Rondó simples sobre um estribilho

Rondó simples

 O rondó é um poema de forma fixa, também de origem francesa. Há rondós de vários modelos.

O Rondó simples tem três estrofes, sendo duas quadras e uma sextilha, com metade do verso inicial a se repetir no final da segunda quadra e da sextilha.

As rimas devem ser cruzadas nas quadras, com uma terceira rima na sextilha, pontuada no verso 4 e 6. Os dois versos iniciais da sextilha obedecem à rima inicial na condição emparelhada, o terceiro e o quinto verso obedecem à segunda rima na condição cruzada.

Assim, o poema segue o esquema rímico: ABAB/ABABd/AABCBCd, onde o d representa o refrão. Segue, como exemplo, um Rondó de Manuel Bandeira, bastante conhecido.

RONDÓ DE COLOMBINA

           De Colombina o infantil borzeguim    (A)
           
Pierrot aperta a chorar de saudade. (B)
      
O sonho passou. Traz magoado o rim,  (A)
     
Magoada a cabeça exposta à umidade. (B)

     Lavou o orvalho o alvaiade e o carmim.  (A)
       
A alva desponta. Dói-lhe a claridade    (B)
 
Nos olhos tristes. Que é dela?… Arlequim (A)
        
Levou-a! e dobra o desejo à maldade  (B)
                         
De Colombina.                    (d)

          O seu desencanto não tem um fim.    (A)
      
Pobre Pierrot! Não lhe queiras assim.   (A)
  
Que são teus amores?… — Ingenuidade  (B)
        
E o gosto de buscar a própria dor.       (C)
     
Ela é de dois?… Pois aceita a metade!  (B)
     
Que essa metade é talvez todo o amor  (C)
                              
De Colombina…              (d)

Manuel Bandeira, in Carnaval.

Regras

1. Todos os membros podem participar, a oficina propõe-se ao aprendizado;

2.Permite-se comentários sem imagem

3.Os textos devem ser postados no formato escrito;

4. Cada participante, após compor seu Rondó, deixará um pequeno verso que, servirá como estribilho à composição do próximo participante.

Boas composições!

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Próximo estribilho:
    O tempo me obriga...

  • Outros braços.

    Um momento apenas estou pedindo.
    O que sinto por ti, estou a lhe dizer
    de tua vida estou me despedindo.
    A teu lado é eternamente sofrer.

    Vim lhe dizer adeus, estou partindo.
    Se ficar aqui irei esmorecer.
    As malas estão prontas, estou seguindo.
    Minha vida, pretendo, refazer.
    Um momento apenas

    Jamais voltarei, para longe estou indo.
    Pois, o mundo as portas, está me abrindo.
    Vou buscar outros braços… Te esquecer.
    Alguém que possa dar o coração,
    Que seja o meu amor o meu bem-querer
    que traga de volta a mim a ilusão!
    Um momento apenas
    Márcia A Mancebo
    (23/03/19)

  • Próximo estribilho: Um momento, apenas...

  • Sementeira.

    Se fosse possível seria um presente
    Ter o teu amor pra vida inteira
    Se isso acontecesse, de repente
    A felicidade seria verdadeira.

    Era ter o céu na terra, simplesmente,
    E nele, o amor fincar sua bandeira,
    Para marcar o nosso eternamente,
    Demarcando, nesse lugar, sua trincheira.
    Se fosse possível...

    E o amor, sem rodeios, explicitamente,
    Com seu discurso firme, eloqüente,
    Em nossa vida tomaria a dianteira
    Nos dando o caminho da liberdade
    Como o bulbo de uma sementeira
    Plantaria em nossa vida a eternidade
    Se fosse possível...

    Marsoalex – 20/03/2019

     

     

  • Próximo estribilho

    Se fosse possível, seria...

  • Morre sem depois

    Ah! Se fosse um sonho, mas é realidade!
    Trouxe ao coração uma grande dor.
    Tua partida não foi fatalidade.
    Sinto, por tua ingratidão, amor.

    Chorei na despedida, é verdade!
    Causastes em minha vida, dissabor.
    Prometestes a mim felicidade
    No entanto, purgo, hoje amargor.
    Ah! Se fosse um sonho…

    Não perdoo sua cruel maldade.
    A mim, causastes infelicidade.
    Agora, de amar tenho pavor.
    O sonho que idealizei pra nós dois,
    Serias, feliz, por toda eternidade,
    mas hoje morre sem depois.
    Ah! Se fosse um sonho…
    Márcia A Mancebo
    (17/03/19)

  • Próximo estribilho : Ah! Se fosse um sonho...

  •  

    Magna virtude.

    Quanta glória há numa atitude
    De quem pratica na vida a humildade
    Quem é dotado dessa magna virtude
    Vai além do que se chama humanidade.

    Sabe viver de seu ser a amplitude
    Mesmo nos momentos de adversidade
    Age com presteza e magnitude
    Buscando dentro de si, serenidade.
    Quanta glória...

    Mesmo que o momento lhe pareça rude
    E que esteja em completa solitude
    Pra fazer o bem terá disponibilidade
    Porque sabe que ser humilde e fazer o bem
    São de sua total responsabilidade
    Não importa como nem a quem.
    Quanta glória...

    Marsoalex – 14/03/2019

This reply was deleted.
CPP