Gestores

I Oficina de Rondó simples sobre um estribilho

Rondó simples

 O rondó é um poema de forma fixa, também de origem francesa. Há rondós de vários modelos.

O Rondó simples tem três estrofes, sendo duas quadras e uma sextilha, com metade do verso inicial a se repetir no final da segunda quadra e da sextilha.

As rimas devem ser cruzadas nas quadras, com uma terceira rima na sextilha, pontuada no verso 4 e 6. Os dois versos iniciais da sextilha obedecem à rima inicial na condição emparelhada, o terceiro e o quinto verso obedecem à segunda rima na condição cruzada.

Assim, o poema segue o esquema rímico: ABAB/ABABd/AABCBCd, onde o d representa o refrão. Segue, como exemplo, um Rondó de Manuel Bandeira, bastante conhecido.

RONDÓ DE COLOMBINA

           De Colombina o infantil borzeguim    (A)
           
Pierrot aperta a chorar de saudade. (B)
      
O sonho passou. Traz magoado o rim,  (A)
     
Magoada a cabeça exposta à umidade. (B)

     Lavou o orvalho o alvaiade e o carmim.  (A)
       
A alva desponta. Dói-lhe a claridade    (B)
 
Nos olhos tristes. Que é dela?… Arlequim (A)
        
Levou-a! e dobra o desejo à maldade  (B)
                         
De Colombina.                    (d)

          O seu desencanto não tem um fim.    (A)
      
Pobre Pierrot! Não lhe queiras assim.   (A)
  
Que são teus amores?… — Ingenuidade  (B)
        
E o gosto de buscar a própria dor.       (C)
     
Ela é de dois?… Pois aceita a metade!  (B)
     
Que essa metade é talvez todo o amor  (C)
                              
De Colombina…              (d)

Manuel Bandeira, in Carnaval.

Regras

1. Todos os membros podem participar, a oficina propõe-se ao aprendizado;

2.Permite-se comentários sem imagem

3.Os textos devem ser postados no formato escrito;

4. Cada participante, após compor seu Rondó, deixará um pequeno verso que, servirá como estribilho à composição do próximo participante.

Boas composições!

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    Próximo estribilho:

    Em quarentena...

  • Gestores

    Nas entrelinhas

    Nas entrelinhas da vida eu sigo com fé,
    Não abortei o amor por crê na esperança,
    Não reneguei a lida e estive de pé,
    Sempre que a vida me fez cobrança.

    Todas as manhãs eu tomei meu café,
    Certa de que a juventude um dia dança.
    Todos necessitam de um cafuné,
    Quando a alma, por alguma razão, se cansa,
    Nas entrelinhas...

    Existiram dias que desejei dar marcha-ré,
    Mas eu olhava o lago e via a força do aguapé,
    E voltava a caminhar, alegre, feito criança.
    Assim, eu me fiz vencedora de muitas batalhas.
    Hoje, eu vivo no ritmo do meu tempo, com confiança,
    Não perco tempo como o que dizem a gralhas,
    Nas entrelinhas....

    Edith Lobato - 19/07/2021

  • Próximo estribilho

    Nas entrelinhas...

  • Taça de emoção

    A saudade não escolhe ocasião
    Chega mansa se acomoda e se instala.
    Traz à mente aquela velha paixão,
    Lembrança linda que faz perder a fala.

    E aos poucos preencho a solidão
    Com essa dor danada que avassala
    Toda alma devolvendo a ilusão
    Que estamos amor, na mesma sala.
    A saudade não escolhe...

    Mesmo que não seja tempo meu coração
    Adentra nessa taça de emoção
    Bebe do bom vinho e não se cala
    Pois, ainda ouve com atenção sua voz
    Sentindo seu perfume que no ar exala
    E corre lentamente como o rio à foz.
    A saudade não escolhe...

    Márcia A Mancebo
    19/07/2021

  • Gestores

    Próximo estribilho:

    A saudade não escolhe .....

  • Gestores

    Desvia das curvas

    Desvia das curvas e segue em frente;
    Não te prende às coisas desnecessárias.
    Não dorme demais, pois o sol nascente,
    Não se demora em horas várias.

    Cada dia nos aquece um sol diferente.
    Exercita a gratidão em ações solidárias.
    Livra-te do que decompõe toda essa gente,
    Do mesmo modo das coisas arbitrárias,
    Desvia das curvas...

    Faz do amor tua espada e sente,
    O pulsar dessa força pungente,
    Que irmana todas as almas visionárias
    Imbuídas de fé e cheias de bondade,
    Praticando formas revolucionárias,
    Para propagar esse amor em igual verdade;
    Desvia das curvas...

    Edith Lobato - 17/07/2021

  • Próximo estribilho

    Desvia das curvas ...

  • Poeta

    Rega com amor esse dom bendito
    Escreve cada verso com carinho
    Deixa o viver com flores, bonito
    Pra que ninguém sinta- se sozinho.

    Diz da doçura dos amantes no ninho,
    Das mãos que tocam e levam ao infinito,
    Sussurra a quem ama, baixinho.
    Diz poeta, que seu sentir é finito
    Rega com amor ...

    Grafita a paixão com cristal no granito
    Esse puro querer que não te faz aflito.
    Espalha por onde andar um pouquinho
    Um pouquinho dourado de esperança
    Abraça esse dom e se bonzinho
    Deixa pela estrada boas lembranças
    Rega com amor...

    Márcia A Mancebo

    16/07/2021

  • Gestores

    Próximo estribilho

    Rega com amor...

  • Gestores

    Com o tempo

    Com o tempo, meus cabelos perderam a cor,
    Ficaram platinados ao toque do sol.
    Eu vi tantas dores e muito desamor,
    E tentei me esconder feito caracol.

    Eu queria alimentar minha fé no amor,
    Para não perder de vista a luz do farol.
    Eu sentei na beria do caminho e chorei a dor,
    Sem ver a beleza do campo de girassol,
    Com o tempo...

    Eu continuei a caminha com destemor,
    E descobrir que tudo na vida tem um valor;
    Então eu me fiz guerreira em cada arrebol
    E em cada lua eu semeei grãos de sonhos!
    Pintei as cores do arco-íris com aerosol
    E voltei a sonhar com dias mais risonhos,
    Com o tempo...

    Edith Lobato - 16/07/2021

This reply was deleted.
CPP