Adm

Oficina I - Desafio Poético sobre palavras aleatórias

PROPOSTA

Esta oficina destina-se à composição de poemas sobre palavras deixadas aleatoriamente

Regras

1. Ficarão em tela 4 palavras aleatórias para composição.

2. O participante deve compor nas palavras em tela e ao postar seu poema, deve deixar outras 4 palavras para o próximo participante.

4. Os poemas criados devem ser postados na caixa de cima.

Boas inspirações!

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

    • Magnífica poesia. Parabéns

  • Palavras em tela; Ancoragem, réplica, conspirar, engodo.

  • Forma imperfeita.

    As minhas emoções provincianas
    São infantis, antigas e tão puras
    Em meus sentidos elas são veteranas,
    Ancorada nelas eu estou segura.

    No claustro monastério da minha memória
    Guardo tudo que me é gratificante
    Cenas e fatos que compõem a minha historia
    É a minha base sólida, edificante.

    É esquálido, frenético o tempo de agora
    De uma urgência tão desarrumada
    Que é buscando essa base a toda hora
    Que da efemeridade eu fico resguardada.

    E os erros que parecem iguarias
    Que a gente petisca pra depois se arrepender
    São dos acertos uma analogia
    É a forma imperfeita de aprender.

    Marsoalex – 15/11/2018

     

     

    • 135301771?profile=RESIZE_930x

    • Deslumbrante inspiração. Parabéns

       

  • Palavras em tela

    Provincianas/ claustro/ esquálido/iguarias


  • Meus olhos serão lagos
     
     
    Co'o corpo inundado de teu suor,
    Sinto nosso amor uma chama ardente
    O sabor de ti em mim, tem o frescor
    Do banho de espuma diariamente.
     
    Fluídicamente são os teus abraços,
    Com essa maciez, me empolgo e sou
    Nessa noite, sobre a cama em teus braços,
    Alguém que te ama e sempre te amou.
     
    Navego em ti, amor, nessa confluência
    Não vejo nada além de nós dois,
    Perdida de paixão sem ter consciência,
    Esqueço lá fora e o que virá depois.
     
    Essa madrugada quero sonhar,
    Desmaiar em em teus afagos
    Amar-te com fervor e sem pensar
    Verossímeis dores, ao me abandonar,
    Meus olhos de saudade, serão lagos.
    Márcia A Mancebo
    08/11/18
     
     
     
    • 133749624?profile=RESIZE_930x

  • Palavras em tela: inundado, fluidicamente, confluência, verossímeis

  • O país do sonho.

    Descerro as persianas dos meus olhos
    Para, acordada, o sonho me invadir
    Deixo jorrar a emoção aos molhos
    Me entrego, completamente, ao meu sentir.

    O sonho não tem nacionalidade
    O seu país é a imaginação
    Ele se fantasia de realidade
    Mas ser real não é sua pretensão.

    Em sua inevitável transcorrência
    Nada precisamos além do sonhar
    Vivemos dele a subserviência
    Sem temermos sofrer ao despertar.

    E na pulcra leveza que sonho nos envolve
    Vivemos momentos de felicidade
    E o coração se queda, se comove
    Sem se importar se é mentira ou verdade.

    Marsoalex – 04/11/2018

This reply was deleted.
CPP