Esperança

Embebedando no líquido frio

Calmo e sonífero na madrugada

Na aurora do dia que chega

Adormeço nos braços da solidão

A esperança de encontrar meu par

Rastejando em pensamento a sua procura

Perpetuando seu cheiro em meu ombro

Pateticamente sóbrio, sozinho

Esperando seus passos aproximarem

Surpreso o grito na garganta explode

E haja amor no peito

Quando o recomeço me abraçar!

 

José Hilton Rosa

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

This reply was deleted.
CPP