Deixei o mar cobrir a monotonia dos meus dias
Mergulhando seu marulhar na fecunda madrugada
Que me lava a alma faminta e carente
Quase em todas as línguas, em todos os sonhos
por onde transito navegando na tua corrente

Deixei a vida esquadrinhar-te ó mar salgado
Abolindo pra sempre todas as solidões que
Desencadeaste nesta absoluta aparição de vida
Transpirando, suspirando, intermitente
Ainda mal o dia rompera colhendo todas as
Escuridões deste silêncio quase, quase inexistente

Deixei o tempo fluir em todas as línguas
Em todos os sonhos revelando-te a cumplicidade
Impelida pelas esperanças navegando em ti
Ó mar salgado perfumando a alma que em ti se funde
Pra toda a eternidade

 

Frederico de Castro

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    UAU - De frente para frente e de trás para trás...

    .

    É sempre um aprendizado - ler - reler tuas Inspirações Querido Poeta Menino Frederico!

    .

    Sou a cada dia mais e mais teu fãZeca - com ADImiração e muito orgulho (no melhor sentido)!

    .

    ABRAÇOS COM NOSSOS (E MEUS) APLAUSOS!!! - gaDs!

     

  • Gestores

  • Gestores

    3628606?profile=original

  • Gestores

    3628553?profile=RESIZE_1024x1024

    3628580?profile=original

    • Que linda formatação

      Beleza Marso,Fico grato

      FC

This reply was deleted.
CPP