Um doce espinho chamado saudade

Rondo as noites como se fosse um sonâmbulo
Dilacerando e remoendo meus ânimos ocultos
Procurando razões e porquês num palheiro de sonhos
Intrincados e forjados apenas nos véus das lembranças
Rondo os dias e a solidão dos vazios
Que enchem de lágrimas meus olhos
Quando transbordam e derramam de você a doce saudade

Wagner Marim-25/10/2015

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    3586796?profile=RESIZE_1024x1024

  • detalles_invitados_marcadores_libros3.jpg

  • Gestores

    Querido Poeta Wagner Marim...

    Reconfesso aqui - com alegria - ua saudável "invejinha" pela

    concisão de tuas Poesias que se limitando ao minimo

    diz mais até que "os máximos"!!!

    .

    Nossos Aplausos Agradecidos pelo comPartilhar e participar!

    Abraços Fraternais deste teu fãZeca-Feliz - gads

  • Gestores

    Ave, Wagner Marim, que poema lindo cheio de lirismo, escrito com zelo garboso. Parabéns!

This reply was deleted.
CPP