A Dúvida

A Dúvida

           Está ali, tão vulgar, estrela da manhã, confundida as vezes com o Senhor maior. Disputada pelo anjo mau, separando religiões. E sua história, é repetida a cada mil anos, são dispersas as palavras lidas, eu não sei se vim de um Mitra, ou de Nazaré.

           Cores, até quando mostrarás a verdade do outro lado, meu pardo sofredor. Quando for revelada a entrada que Dante avisou, perdão, orações e louvor, não adiantarão, pois sumérios ficaram híbridos nos corações luciferianos. Xavier avisou!

 

Alexandre Costa

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP