ATÉ QUANDO SENHOR?

Até quando esse Vírus maldito
Surgido das entranhas estranhas  do Maléfico

Continuará ceifando vidas
Enquanto a Esperança de sobrevivência se perde

Nos labirintos e nas labaredas da incredualidade
Onde o discurso recurso politico
Se instala na sala do eleitor

Que mal lê
E    o   leitos em falta são acordes dissonantes dessa mesmice

Tolice   enraizada num falso socorro
E as Ambulâncias gritam
E os homens de branco astronautas

Escorregam das pautas  em semibreve  colóquio

Trágico do existir
Enquanto viver é fugir   atrás das Máscaras.

Até quando Senhor?

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores

    Infeslizmente, estamos refém de algo que não sabemos quando será contido.

    Enquanto isso, muitas dores, aflições e muitas lágrimas são sentidas e derramadas.

    Aplausos!

  • Gestores

    Infelizmente estamos nas mãos dos homens porque dependemos de sua empatia e amor ao próximo para vencer esta batalha. Mas o que vemos são demonstrações de egoísmo e deboche com a vida alheia. 

    Só nos resta orar. Orar sempre. E fazer nossa parte para evitar que se alastre mais 

    Um desabafo ímpar. Parabéns Benedito!

    DESTACADO! 

  • Verdade, Benedito. Esse vírus está deixando o povo sem rumo. 

    Aqui em minha cidade Itapeva São Paulo, estamos perdendo pessoas queridas. Só Deus para ter misericórdia do povo sofrido. A economia em caos, pessoas sem empregos, alguns passam fome.

    Temos que nos unir em orações e implorar pela cura.

    Eu acredito que a vacina poderá nos salvar.

    Se cuida amigo. Por enquanto a máscara ainda é  proteção.

     

     

     

This reply was deleted.
CPP