CHÃO DE AMÊNDOAS

CHÃO DE AMÊNDOAS

CHÃO DE AMÊNDOAS

 

Pular o muro chapiscado

Seguir no caminho declinado

fugir da coça corretiva do seu lar.

 

Gozar a tarde num jogo universal

Suar, gargalhar e expelir o mal

aproveitar a sombra  que empraza

Dessas folhas que abraçam como chácaras

 

Meio que desvio o olhar pro fim da rua

Sei que preciso voltar, pra crua  e dura

Terapia familiar.

 

E por alguns segundos atordoado

Ainda me sinto feliz e lisongeado

Por poder aproveitar toda aquela cena

Com amigos nesse chão de amêndoas.

 

Alexandre Costa

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores

    És da época que os filhos respeitavam mãe e pai. És da época que brincar era necessário para o desenvolvimento, hoje o celular compete com tudo isso.

    Aplausos!

  • Gestores

    8242328899?profile=RESIZE_400x

This reply was deleted.
CPP