Decomposição

Decomposição

Te ofereço um soneto meu querido;
Pra dizer o que eu guardo no meu peito.
Esgarçado de dor do amor desfeito.
Arrependida por não tê-lo ouvido.

Ah! Se tentasse tê-lo compreendido;
Estaria a comemorar um feito.
Veria teu sorriso satisfeito
Não choraria por ti, aqui, escondido.

Meus versos não seriam tão tremidos.
Muito calmo estaria o coração.
Pois, te amar para mim, é fixação!

Hoje vivo no altar dos oprimidos;
Caminhando sozinha pela vida
Escandindo palavras comovidas.

Márcia A. Mancebo
27/11/19

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Soneto belíssimo, poetisa amiga, minhas sinceras reverências.

    Sou seu fã.

    Abraços, paz e Luz!!!

    • Obrigada, Ilario!

      Bjs

  • Gestores

    3700900452?profile=RESIZE_710x

  • Aí a gente para e simplesmente respira e reflete volta e respira mais uma vez. Lindo.

    Deus a abençoe.

     

    • Obrigada, Carlos!

      Bjs

  • "Hoje vivo no altar dos oprimidos;
    Caminhando sozinha pela vida
    Escandindo palavras comovidas."

    Que lindos versos,querida Marcia!

    Beijosssss

This reply was deleted.
CPP