Doce lembrança

 

Doce lembrança

Do tempo de criança.

Não se tinha nada,

Nem mesmo o conto da fada.

 

Aos domingos vestia-se uma calça.

Ficava grande, mas punha-se uma alça.

Ia arrumadinho para a missa,

Mesmo estando com preguiça.

 

Escutava o padre falando,

E o menino ao lado xingando.

Queria que a missa acabasse rapinho

Para ele jogar bola no campinho.

 

A catequista punha as crianças para frente,

Fazia que elas cantassem de alma presente.

Alguns fingiam cantar

Para a música lhes despertar.

 

Quando o padre dava a bênção final,

Parecia que estava na capital.

Era gente correndo para todo lado,

Pensando na sobremesa, o melado.

 

Na mesa, como um banquete,

Tinha arroz, feijão e macarronada. O porrete,

Se não comesse, era a ordem do dia.

Engolia tudo, mesmo quem não podia.

 

 

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

José Carlos de Bom Sucesso

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores

    3695888045?profile=RESIZE_710x

  • Aí que delícia de texto 

    Cheirinho de infância no ar ...

    Eu recordo destes tempos que éramos felizes e ninguém sabia 

    Eu não perdia uma missa e nem os festejos da paróquia rsrs

    Era tudo tão simples..tão mágico ...e gostoso de se viver 

    Bons tempos que não voltam mais 

    Meus parabéns pela linda inspiração

    Bom domingo

This reply was deleted.
CPP