Dor do abandono

Dor do abandono

Sou pó, sou incerteza nesse mundo triste
Trilhando com dor de saudade no peito
Minh'alma marcada, sentida resiste
Aos trancos que a vida oferece com jeito.

Com gestos e acenos que viver consiste
Chorando baixinho o querer já desfeito
Seguindo com lágrimas que inda persiste.
Ah, sina maldita esse amor imperfeito!

Na poeira da estrada, deixei meus afetos
Segui soluçando sem eira nem beira
Ficar a teu lado era grande besteira.

Melhor procurar outra casa, outro teto
Que ter que chorar sufocando uma dor
A dor do abandono sem mais ter calor...

Márcia A Mancebo
09/01/2021

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • No impasse da vida, o melhor é buscar uma saida... Querida poetisa, lindo compor, perfeito conter... meus parabéns! Bjs de luz! 

    • Obrigada amiga querida 😘😘

  • Perfeito!

    Aplausos!

    • Obrigada amigo querido.

      Um abraço

This reply was deleted.
CPP