E tu não existes e eu também não

 

E tu não existes e eu sou

 

Flor sem água

Lágrima dolorida

Orador sem palavra

Sangue sem ferida

 

Rosto envergonhado

Escondido na solidão

Animal enjaulado

Que espera adoção

 

Família sem sustento

Mágoa cansada

Folha ao vento

Criança abandonada

 

Metade de metade

Gesto de outro gesto

Mendigo da saudade

Divisão sem resto

 

Sonho perdido

Malas á porta

Vida sem sentido

Alma morta

 

E tu não existes e eu sou!

 

Um bem maior

Um bem menor

Meio de tudo

Meio de nada

Outro dia

Nenhum dia

Se me sinto!

Sinto-te!

 

E tu não existes e eu também não!

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Plácido De Oliveira

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Belíssimo poema, lindas metáforas, criatividade nas antíteses...

    Assim segue a vida de tantas contradições..

    Parabéns estimado Plácido 

    Que poema sensível em vídeo declamado

    Abraço de Antonio Domingos

  • Meus parabéns poeta 

    Magnífico poema 

    Aplausos

    • Obrigado Ana Lucia

      Abraço

  • 3820603543?profile=RESIZE_400x

  • Belo poema com um lirismo impar.Abraços

This reply was deleted.
CPP