Enquanto...

Enquanto...

Enquanto ...

Enquanto o viver desenrola,
busco a inspiração pra escrever
Procuro na imaginação
Alguns versos pra tecer.

No canto, isolada dedico aos escritos
Submerjo à inspiração co' o, um alento
O que sinto com emoção, grafito.
Palavras fluem como o passar do vento.

Chegam como brisa amenas à mente
Às vezes a ânsia da alma tão aflita
No papel espalham tal, sementes,
E na alma e no sentir só paz habita.

Às vezes a alegria mesclada com pranto
Esconde a dor do coração envelhecido
E o que poderia ser visto com encanto
O sorriso é retratado entristecido.

Assim, passo as horas pensando na lida
Na estrada até aqui aprendendo, sempre, sigo
Tentando desvendar segredos da vida
Sentindo ausências que caminham comigo.

Saudades do tempo que outrora vivido
Exalava um cheiro gostoso de flores
Expulsando o que vinha de oferecido:
Um açoite, recheado com dores.

Quimeras eternas, caminho infinito
No céu estrelas, na noite reluzindo
Lembrar estações, ciclos, ah, que bonito!
O sol, a manhã chega com versos induzindo
Gradualmente a poesia aparece sorrindo!

Márcia A Mancebo
12/04/2021

"

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores

     Belíssima obra poética Márcia!

    Sempre um encanto ler teus versos!

    Parabéns! 

    • Obrigada amiga querida 😘

This reply was deleted.
CPP