Hora solene

Hora solene

Saudade tão cheia de dor que me mata
Vem desafiar essa falta infinita
Que chega tão mansa e somente maltrata
Minha alma infante que em tudo acredita.

Minha alma tão pura regada de amor
Suspira apaixonada por tanto amar
Me leva distante pro um novo esplendor
Ansiosa me ponho de ti recordar.

Nesta hora solene a euforia aparece
Meu ser exaltado acalenta a esperança
Que o amor é bendito tal qual uma prece
Feliz abraçada, danço co' a lembrança.

Do beijo ardorosos com gosto de mel
Dos sonhos sonhados nas noites tão belas
Desejo aflorado debaixo do céu
Nos vejo juntinhos, tal qual uma tela.

Márcia Mancebo
18/07/2021

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Marcia

    parabéns

    Davi/Guardião do amor

    • Obrigada

      Um abraço

This reply was deleted.
CPP