LEITURA

Certa feita adentrei um olhar

E lá dentro daqueles olhos dos quais nem lembro a cor

Havia um mar intenso aclarado e profundo

Tão grave como fosse um grito inconformado de escritor

 

Caminhei devagar pelas bordas retinas

Até redescobrir sob as pálpebras

O relicário das imagens resguardadas

 

Então desabotoei as cortinas que ofuscavam a mente

E como se abrissem torneiras e portas e janelas

Surgiram impagáveis linhas

Em quintais sem reservas e muro

 

Retornei espalhando gotas enroladas em luzes

Que espanavam do lado escuro de incríveis paisagens

Douradas e raras coleções de palavras lidas

Escritas sobre as paginas de um livro a minha frente

 

PSRosseto - www.psrosseto.com.br

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Paulo Sérgio Rosseto

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores

    Excelente construção de versos!! Parabéns Paulo! 

This reply was deleted.
CPP